Binance sobre escrutínio

Mais um episódio sobre o mundo das criptomoedas e investigações associadas às mesmas. Neste caso à Binance, um dos grande stock exchanges do mundo.

traz isto credibilidade a este mundo das criptomoedas? E impactos?

https://www.bloomberg.com/news/articles/2021-05-13/binance-probed-by-u-s-as-money-laundering-tax-sleuths-bore-in

Feliz 2021

2020 já se foi, venha um 2021 carregado de coisas boas e que nos façam bem! Nunca uma transição de ano trouxe tanta ansiedade e expectativas para a humanidade como esta, em que fomos assolados pela pandemia Covid-19 e desejosos e com esperança que seja em 2021 que as nossas vidas voltem ao normal.

2021 marca também uma mudança, que alguns mais “antigos” se lembram, e é para mim digna de reparo: o fim do FarmVille.

Desde 2011 que este jogo foi um ícone dos jogos do Facebook, tendo permitido à Zynga lucros fabulosos e uma posição respeitável neste nicho.

Com o fim do Adobe Flash tomou a respetiva Zynga a decisão do término do FarmVille, longe já da popularidade de outrora, e a 31 de Dezembro de 2020 foi o seu fim.

Quem não se lembra de ouvir falar da Quinta e dos seus animais?

É o fim, e bem vindo 2021, que correspondas às nossas expectativas!

Booting from a vinyl record

Na maling list do AADM surgiu pela notícia do André Henriques um projeto super interessante: Booting from a vinyl record.

Já alguém se imaginou a arrancar um PC a partir de um disco de Vinyl? Confesso que por vezes com o tempo que alguns que tenho demoram a experiência é semelhante, mas aqui é mesmo de um disco de Vinyl.

So this nutty little experiment connects a PC, or an IBM PC to be exact, directly onto a record player through an amplifier. There is a small ROM boot loader that operates the built-in “cassette interface” of the PC (that was hardly ever used), invoked by the BIOS if all the other boot options fail, i.e. floppy disk and the hard drive. The turntable spins an analog recording of a small bootable read-only RAM drive, which is 64K in size. This contains a FreeDOS kernel, modified by me to cram it into the memory constraint, a micro variant of COMMAND.COM and a patched version of INTERLNK, that allows file transfer through a printer cable, modified to be runnable on FreeDOS. The bootloader reads the disk image from the audio recording through the cassette modem, loads it to memory and boots the system on it. Simple huh?

Mais informações em http://boginjr.com/it/sw/dev/vinyl-boot/ – o sitio web do projeto.

Alguém quer tentar ?

Ford Sync 3 – Novo User Interface

Recentemente encontrei num grupo do Ford Ecosport uma imagem em que algo destoava do user interface conhecido para o Sync 3.

Após algumas pesquisas, consegui perceber que foi lançado um novo user interface para alguns Ford, sendo que o Ecosport atual era um dos veículos. que o tinha.

Apesar de ser um carro dos Estados Unidos no caso concreto, encontrei um Update disponivel na página da Ford, e os seus 2.5GB levaram-me a pensar que talvez fosse isto.

E realmente é um novo user interface – o Ford Sync 3 3.4. Um interface azulado, mais moderno em termos de look & feel, mas com a maioria das funcionalidades que já estavámos habituados.

Após uma viagem de alguns minutos, ainda algo longos, talvez condicionados pela Pen da Sandisk, lá o referido Infotainment reiniciou e trouxe consigo o novo look.

Ainda não detetei novidades, além do novo interface, bem mais apelativo. Todos os on screen displays dos sensores e controlos da climatização também acompanham com novo look, rompendo com o modelo antigo.

Pena que não é para todos, pelo menos o Focus MK3,5 continua sem updates.

Nada como espreitarem na página oficial em https://www.ford.pt/pos-venda/informacao-util/sync/update

Cloudflare

Estamos em 2020 e decidi alterar o blog para passar a usar a Cloud Flare. Não espero uma mudança significativa, dado que não somos um gigante, nem vou mais além da pretensão de ter aqui um espaço pessoal, mas faz sentido.

Aproveita-se assim a renovação do domínio, para uso da Cloudflare que me parece ser atualmente um dos registars mais baratos que encontrei – fica por avaliar o provider do alojamento que sinceramente não me trouxe experiências muito boas passadas com confusões com os dominios.

Quanto ao alojamento já dizia alguém “se queres algo bem feito é melhor fazeres tu”, mas de momento alugar uma VM e tratar do hosting de um blog é demasiado time consumer e overkill para este blog e um pequeno fórum que mantenho por razões quase “afetivas”.

Estamos em 2020, a web evoluiu, quase a maioria dos personal blogs que conheço ou muitos já desapareceram, ou estão ao abandono – este não é uma exceção e anda mais pelo campo da segunda hipótese.

Com menos tempo e outras ferramentas mais a tender para o social networking foi a machadada final nestas plataformas “pessoais”, uma tendência como muitas outras que tem acompanhado e ditado o ciclo de vida das coisas nas internets. E isso é bem patente no ciclo de vida dos produtos de gigantes como a Google por exemplo, em que de um dia para o outro são anunciados encerramentos de serviços.